21 de Março - Monarquia (I Sm 9-12)

A teocracia terminou e com isso vem a monarquia sobre toda a terra de Israel. Muitos estudiosos acreditam que somente através da monarquia o povo teriam a mesma visão do todo e ter os mesmos objetivos para com Deus e com os demais. Todas as leis iriam partir de um único homem que teria total liberdade para mandar em todos os outros. Samuel ficou chateado ao ver que a rejeição era grande para com Deus e ao estilo que o povo havia escolhido para que eles tivessem estava longe da visão divina. Samuel talvez não tenha lido nos livros da lei que lá dentro dela Deus já tinha planejado e previsto esse dia em Dt 17.14-20 temos a lei a respeito da instituição da monarquia e suas principais ordenanças e consequências sobre o resto do povo.
Era necessário o rei ser justo e temente a Deus. O que iria depender do carácter do rei que eles escolhessem para pormsobre suas vidas. Um rei bom o reino todos teria paz e prosperaria com as bençãos do Senhor. Um rei mal todo o povo se afastaria de Deus e as maldições de Dt 28 cairia sobre todos os moradores, assim, eles perderiam o direito de estar sobre a terra.
O rei de Israel seria diferente ele teria que cumprir todos os estatutos divinos e os conhece-los,  amar e obedecer a Deus de todo o seu coração. Lawrence nos mostra quatro erros que o povo cometeu ao pedir para sim um rei: 1 - rejeitou o papel de Deus, o maior cargo do povo de Israel nunca esteve vazio sempre teve uma pessoa que vive eternamente. Deus era o rei de Israel, a forma teocatratica fazia que um único ser governasse e tivesse o domínio para todo o sempre. O povo não estava contra o Senhor, mas, contra os seus representantes que eram mais. Os filhos de Samuel estavam seguindo o mesmo caminho dos filhos de Eli. Assim, o medo de todo o povo sofrer nas mãos de juízes que se aproveitariam de seus cargos sacerdotais.  2 - Quebrava o pacto com Deus. Todo o pacto estava envolvido entre Deus e os homens a aliança era de mão dupla. Israel era obediente e Deus os abençoava. A forma simples de se enteder o que leva ao terceiro ponto apresentado por Lawrence. 3 - Um rei como outras nações. Eles eram para ser diferentes essa foi a finalidade da criação de Israel usar a sua forma de governo e suas leis para que fossem exemplos aos outros. A instituição teocrática era a forma original que Deus planejou para todos os seres humanos. 4 - Perigo desnecessário. Dependo do comportamento do rei seria mau para o povo. O qual todos eles deveriam obediência e respeito em todas as decisões que o rei tomasse. Sofrendo o devido castigo para desobediência.

1 - Saul

Josefo nos diz que Quis era virtuoso e bastante respeitado em Benjamin. O sorteio que decidiu o rei fora uma simples forma de demonstrar ao povo que era justo e a escolha de Deus cairá sobre Saul. O que falar de Saul? Os relatos bíblicos nos diz que ele era o mais alto entre todos os demais israelitas. No livro de Os 13.11 nos diz que na irá Deus escolheu um rei para o povo. Logo, Saul estava posto sobre o povo na irá de Deus. A sua obediência faria ele merecedor do cargo posto por Deus. Com uma analise mais profunda do texto podemos observar que a unção que fora posta sobre Saul não foi de rei e sim de capitão. Ele comandaria todo o povo assim, seria o responsável para que todo o povo aprendesse a viver em uma monarquia. Uma vez perguntado se Deus já teria planos para instalar uma monarquia no meio de Israel, eu não pensei duas vezes e respondi que sim, em Gn 49. 6-9 nos mostra a benção sobre Judá e ela é bem clara que o cetro não se afastará de Judá. Assim, os filhos de Judá teriam a preferência pela monarquia e representar todo o povo diante de Deus.
A batalha contra Naas foi determinante para exercer e confirmar a monarquia dentro do território de Israel, mesmo sendo ungido a capitão ele não exerceu automaticamente o seu direito ao trono
 Somente após a vitória dos amonitas que o reino é estabelecido e passa de forma clara e oficial a ser monarquia imposta em Israel.

Comentários